CIDADES
Anunciante
SAÚDE PÚBLICA
AME de Penápolis terá 14 especialidades médicas

A previsão é de que sejam realizadas, por mês, 150 cirurgias de baixa complexidade e 300, de média

Anunciante

O Ambulatório Médico de Especialidade – AME de Penápolis, que está em processo de instalação, contará com 14 especialidades médicas, além de exames para diagnósticos e cirurgias de baixa e média complexidade. A Secretaria Estadual de Saúde já publicou o chamamento público para o cadastramento das organizações sociais interessadas em administrar o AME de Penápolis.

“Nesta semana, já recebemos a visita técnica de algumas OS’s ao Hospital Luiz Valente, onde será instalado provisoriamente o AME. Até a próxima semana, deveremos receber as demais organizações interessadas. Durante essas visitas técnicas, as OS’s avaliam o espaço físico e as adequações necessárias dentro do projeto técnico”, afirmou Braz.

O prazo final para as organizações sociais apresentarem para o Estado seu projeto técnico é no dia 28 de dezembro. “A nossa expectativa é que até abril de 2019 nós tenhamos a inauguração do AME Penápolis, em pleno funcionamento, com equipe técnica contratada, novos equipamentos, tudo pronto para atender os 40 municípios da nossa região”, contou.

O AME oferece eficiência em atendimento e em diagnóstico, além do tratamento, o que inclui cirurgias de baixa e média complexidade. O projeto técnico do Departamento Regional de Saúde de Araçatuba – DRS II estima que o AME de Penápolis oferecerá mais de 3.200 consultas médicas por mês.

A previsão é que sejam realizadas mensalmente cerca de 150 cirurgias de baixa complexidade e 300, de média, totalizando 450 cirurgias por mês.

Uma das especialidades oferecidas pelo AME Penápolis será a oftalmologia, que hoje apresenta uma grande demanda reprimida na região, além de ginecologia, mastologia, anestesiologia, cardiologia, cirurgia geral e vascular, coloproctologia, gastroenterologia, neurologia, otorrinolaringologia, pneumologia e urologia.

“Esses dados são previstos para a primeira fase do AME Penápolis que funcionará no Hospital Luiz Valente. Esses dados fazem parte do projeto técnico elaborado de acordo com a demanda reprimida de atendimento nos 40 municípios da região”, destacou o secretário de Saúde.

Com a construção do novo prédio na região da avenida Irmãos Buranello, com área construída de 4.090 metros quadrados, a previsão é que o número de atendimentos seja ampliado, com o aumento do número de especialidades oferecidas.

 

PREFEITURA CALCULA ECONOMIA DE R$ 30 MIL POR MÊS

COM TRANSPORTE APÓS INSTALAÇÃO DO AME

Com o processo de implantação do Ambulatório Médico de Especialidades – AME de Penápolis, a Secretaria Municipal de Saúde estima uma economia de aproximadamente R$ 30 mil. Esse é o valor aproximado investido no transporte do pacientes para o atendimento na unidade de Araçatuba. Porém, o principal beneficio para os pacientes penapolenses é evitar a rotina desgastante de viagens.

O encarregado da Central de Ambulâncias, Fernando Gardin, afirmou que, só para o AME de Araçatuba, são transportados diariamente cerca de 120 pacientes, em veículos de fretamento contratados pela Prefeitura de Penápolis. Alguns pacientes com condições de saúde mais delicadas são transportados em veículos oficiais. As saídas dos veículos que transportam os pacientes acontecem durante a madrugada e ao meio dia.

O encarregado calcula que cerca de 90% dos pacientes penapolenses atendidos no AME Araçatuba utilizam o transporte da Central de Ambulância. Os agendamentos para o transporte de pacientes é realizado na Central de Ambulâncias no período da manhã, das 08h às 12h, e também nas unidades básicas de saúde. Também é necessária a confirmação com os comprovantes de agendamento no AME.

Segundo o secretário de Saúde, Wilson Carlos Braz, atualmente são investidos cerca de R$ 32 mil por mês com o transporte de pacientes para o AME em Araçatuba. “Ainda transportamos pacientes para mais de 50 cidades. Com a unidade de Penápolis e a oferta de diversas especialidades médicas, muitos pacientes serão atendidos em sua própria cidade, gerando ainda mais economia”, destacou.

 

 

"VIAGENS SÃO CANSATIVAS", RELATAM PACIENTES

QUE PRECISAM SE DESLOCAR ATÉ ARAÇATUBA

 

Pacientes que utilizam o transporte oferecido pela Prefeitura de Penápolis relataram diversas dificuldades com as viagens para atendimento médico em Araçatuba.  O desgaste físico, cansaço, falta de recursos financeiros são algumas das dificuldades enfrentadas pelos penapolenses.

O aposentado José Antonio é um dos pacientes penapolenses atendidos pelo AME – Araçatuba. “Faço tratamento no AME há algum tempo e viajo frequentemente para Araçatuba de moto e utilizado às vezes o transporte da Prefeitura. Quando venho com o veículo da Prefeitura, tenho que aguardar até a tarde para voltar a Penápolis”,

“Por isso prefiro vir de moto, mesmo com o gasto com combustível. Com o AME em Penápolis vai ser 200%. Não teremos gastos e estamos pertinho de casa. Nossa cidade precisa do AME”, contou.

O beneficiário do INSS José Valter da Silva, faz tratamento há mais de dois anos no AME. “Muitas vezes temos que sair 4h30 de Penápolis e voltamos 13h30. Venho de bicicleta até a Macro I. Às vezes você não tem dinheiro e quando vai para Araçatuba precisa fazer um lanche. Quando você é atendido às 07h30, tem que ficar até 13h30 esperando o ônibus voltar. Com o AME aqui, vai ser bom demais”, afirmou.

A pizzaiola Juliete Francisca do Santos contou que por conta do trabalho já chega tarde em casa e acaba nem dormindo quando precisa ir ao AME. “Para não perder o horário, acabo nem dormindo. Já venho para o ponto às 03h30 para não me atrasar e correr o risco de perder o ônibus”, disse a pizzaiola.

A operadora de caixa Natalia Ramos relatou o mesmo desgaste por causa das viagens. “Tenho que acordar às 03h. Ainda temos os riscos da viagem, de andar de madrugada pela cidade”, enfatizou.

Natalia viajou acompanhada de sua avó Sueli que acrescentou que acredita que mesmo com o pagamento do aluguel do Hospital Luiz Valente, no valor de R$ 50 mil, o AME em Penápolis seria compensador. “As viagens são muito cansativas. Ser fosse aqui, seria muito melhor. Compensa pagar o aluguel aqui”, afirmou Sueli.

A aposentada Sebastiana Iracema Zanuto contou que inicialmente não acreditou que o prédio do Hospital Luiz Valente comportasse todo o atendimento. “Mas depois fui me informando que futuramente o prédio será construído na avenida Irmãos Buranello”, disse.

“Há quatro anos passo no AME em Araçatuba. Saio de casa às 4h. Conheço outros pacientes que acordam mais cedo ainda, pois moram em regiões mais distantes do ponto de partida do ônibus”, finalizou.


Anunciante
O 018News não se responsabiliza pelas notícias de terceiros.
Copyright © 2018 018News. Todos os direitos reservados.