GERAL
Anunciante
SEM GASOLINA
Avião que pousou em cemitério teve pane seca, conclui o Cenipa

Piloto não mudou seleção de tanque e aeronave ficou sem combustível a 200 metros de aeroporto

Anunciante

O Sipaer (Sistema de Investigação e Prevenção de acidentes Aeronáuticos), ligado ao Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), concluiu como pane seca a causa do pouso forçado de um avião Cessna Aircraft 210M, fabricado em 1978, em 22 de março de 2018, no cemitério Jardim da Luz, a 200 metros da cabeceira da pista do aeroporto Dario Guarita, em Araçatuba.

A aeronave, na ocasião, era pilotada pelo pecuarista Nilson Alcântara Soares Ferreira, de 81 anos na ocasião. O piloto, popularmente conhecido como Tilau, havia decolado da fazenda Três Unidos, em Terra Roxa (PR), com destino a Araçatuba. Ele viajava sozinho e foi obrigado a fazer o pouso forçado por volta das 14h30, em um gramado no interior do cemitério.

De acordo com relatório emitido pelo Sipaer/Cenipa, órgão ligado à Aeronáutica, em 4 de dezembro do ano passado, apesar da pane seca, o avião tinha entre 13 e 53 litros de combustível no momento da aterrissagem. O problema é que a seletora de combustível da aeronave esta estava direcionada para compartimento que não tinha mais gasolina própria para aviação.

O relatório indica que o Cessna possui tanques em suas duas asas. No momento do acidente, a aeronave era abastecida pelo compartimento do seu lado esquerdo. O piloto, para evitar problemas e falta de combustível no motor, deveria ter mudado, em vôo, a seletiva para o tanque do lado direito, o que não aconteceu a tempo.

Pelo que consta no documento, o avião do pecuarista Tilau teve os tanques cheios de combustível em Araçatuba, no dia 20 de março, antes de levantar voo em direção a sua fazenda no Paraná. No retorno, o avião não foi reabastecido. A previsão era de que a viagem duraria 1h50 e que, para isso, havia gasolina suficiente para o pouso em condições seguras no aeroporto Dario Guarita.

Como a alavanca de seleção de tanque de combustível não foi acionada pelo piloto, a aeronave ficou sem combustível suficiente para voar por pelo menos mais 200 metros até chegar à pista do aeroporto de Araçatuba.

O Sipaer/Cenipa informa, em seu relatório, que o Cessna estava com toda documentação em dia para a realização de voos e que o piloto, além dos documentos necessários, possuía certificado médico válido para comandar o avião, mesmo tendo na época 81 anos de idade.

Na ocasião, Tilau não sofreu graves ferimentos. Ainda assim, o pecuarista foi encaminhado para o Hospital da Unimed, onde passou por exames e foi liberado em seguida.

AINDA EM APURAÇÃO

Um outro acidente aéreo registrado em Araçatuba, em 2018, continua em investigação pelo Sipaer/Cenipa. Em 10 de setembro, um avião Mitsubishi, modelo MU-2B-60, pousou de barriga no aeroporto Dario Guarita, causando a interdição do local para pousos e decolagens.

A aeronave havia decolado de Álvares Machado, com piloto e a esposa dele. O avião aterrissou sem baixar o trem de pouco, o que fez com que derrapasse de barriga, sofrendo avarias. Ninguém sofreu graves ferimentos.


Anunciante
O 018News não se responsabiliza pelas notícias de terceiros.
Copyright © 2018 018News. Todos os direitos reservados.