Anunciante
Game Of Thrones, o fim de uma saga

Começa última temporada de série que virou sensação mundial e que não para de atrair seguidores

Anunciante

Há alguns anos, meio que a contragosto, comecei assistir a uma série que estava fazendo muito barulho, todos comentavam como havia sido o último episódio e o desenrolar de seus personagens. Tipo de coisa que eu não via desde Lost, mas, apesar de, aparentemente, não ser exatamente o estilo de série que gosto, fui conferir o motivo de tanto sucesso e comentários.

Resultado: não só descobri a razão de tanto “barulho” como me tornei um grande fã, ao ponto de buscar até mesmo fora das telas a fonte daquela história que realmente valia a pena ver e ler. Neste domingo (14), depois de uma espera de mais de um ano, finalmente começamos a acompanhar o final desta saga.

Tão importante é esta série que o mês de abril, acostumado com estreias tanto de filmes e séries nos canais pagos foi por estes ignorado, devido à força de Game Of Thrones e sua legião de ávidos fãs que aguardaram pacientemente por seu retorno.

A espera faz mais sentido se levarmos em consideração que este é um dos poucos casos onde a série televisiva foi além dos livros publicados, ainda que estejam trabalhando em conjunto com o escritor, está chegando ao final de sua saga, enquanto que os livros ainda faltam duas edições para isso. Tomaram o cuidado de contar o final sem estragar a obra literária que ainda será lançada segundo seu próprio criador.

Mas qual o motivo de tamanho sucesso na TV uma vez que, apesar de conhecida, a obra literária não fez tanto sucesso quanto à série? A meu ver é simples a resposta para isso. Apesar dela se passar em um mundo imaginário, fantasioso e fantástico, onde há reis e rainhas em constante guerra pelo poder, dragões e exércitos de eunucos, cavaleiros, feiticeiras e deuses, sempre prontos para guerra, basicamente a história é sobre a condição humana, todo fundo de Game Of Thrones se baseia em sentimentos e decisões muito bem conhecidos de todos nós, o que ajuda muito com a empatia para com os personagens e é muito melhor assimilado e visto no formato televisivo.

Temos um pouco de tudo em GOT, desde o extremista religioso que não tem dificuldade em sacrificar quem quer que seja para seu deus tentando atingir aquilo que almeja; temos a filha que busca Justiça e vingança pelo pai; os amantes que ignoram sua condição para viverem um amor proibido; a garota frágil que se transforma em uma guerreira com força maior que qualquer personagem masculino. Enfim, GOT mostra nossa condição enquanto humanos brincando com nossos sentimentos e vontades. Este é o motivo de seu estrondoso sucesso, E muito ajuda também o fundo político mostrado na série, as falcatruas pelo poder, a política de pão e circo oferecida pelos reis (alguma semelhança com a realidade?) e os acordos a base do conhecido “toma lá, dá cá” de nossa política real.

Passeamos pelo empoderamento feminino com personagens extremamente fortes como as rainhas Cersei Lannister e Daenerys Targaryen cuja história de superação e força lhe presenteia com 3 filhos, personagens à parte, seus dragões que somam força e poder a seu exército sem falar na beleza de cada um deles, temos também a pequena Arya Stark (uma de minhas personagens preferidas) e a exuberante e poderosa Brienne de Tarth.

Entre os personagens masculinos, vários nos chamam atenção, mas talvez nenhum deles como o pequeno grande duende, Tyrion Lannister, demonstrando que o que lhe falta em tamanho sobra em inteligência e promiscuidade; o rei do norte Jon Snow exemplo, de lealdade, honra e força; e até mesmo Theon Greyjoy, cuja história nos faz sentir pena e torcer por sua rendição.

Citar todos personagens seria impossível e estes exemplos apenas demonstram a grandeza desta obra onde poderemos conhecer muitos outros personagens, cada um com uma bagagem emocional tremenda, nos fazendo sempre querer conhecê-los melhor, torcer por eles e odiá-los conforme o caso.

Sempre lutando entre si por poder e vingança, também terão que lutar contra um inimigo comum de extrema força chamado de “Rei da Noite”, com um exército de “Caminhantes Brancos”. Enfim esse é o segredo de GOT, seus personagens, sua empatia que nos faz torcer por cada um deles, ora odiando-os ora os amando com suas decisões, força e coragem.

Esta última temporada contara com 6 episódios, gravados em segredo com uma segurança digna de guerra e com direito a espaço aéreo proibido, para evitar gravações extras e spoiler. Usando um desenrolar diferente, cada episódio contara com um tempo diferente, sendo o último exibido no dia 19 de maio.

Para os fãs que já olham com certa nostalgia por ser a última temporada, podemos nos animar sabendo que há vários projetos derivados de GOT para serem produzidos, um deles já com seu piloto encomendando, para se transformar em série, que contara a história da Longa Noite, sempre citada em GOT e que precede seus acontecimentos. Eu, como vocês, fico por aqui, acompanhando este desfecho e depois esperando para conferir as diferenças nas obras de George R. R. Martin.


Anunciante
O 018News não se responsabiliza pelas notícias de terceiros.
Copyright © 2018 018News. Todos os direitos reservados.