Política e Mais
CANDIDATOS OU LARANJAS? DISPUTA PELA PREFEITURA DE ARAÇATUBA VIRA VÁRZEA ANTES DE COMEÇAR

Aliado de vereador 'destrona' líder comunitário para atacar Dilador, que terá Chinelo no 'cangote'

Anunciante

A campanha eleitoral em Araçatuba ainda nem começou e o terreno político por onde desfilarão os candidatos a futuro prefeito da cidade já virou várzea, conforme pode ser comprovado em mensagens e imagens que correm à exaustão nas redes sociais.

Com um cenário previsto no início da semana em 12 pré-candidatos ao Executivo araçatubense, não foi preciso mais que alguns dias para vermos trocas e até mesmo o surgimento de novo postulante ao cargo de Prefeito. Tudo indicando uma trama engendrada para fazer com que o atual prefeito e candidato à reeleição, Dilador Borges (PSDB), seja o principal alvo de estratégias que não visualizam outra coisa senão ataques a seu governo e sua pessoa, principalmente.

Após passar pelo menos três anos dizendo aos quatro ventos que seria candidato ao Executivo, o líder comunitário Luizão do Pinheiros, que diz presidir o PMN local, bem ao estilo “laranja”, acaba de abrir mão do posto principal da chapa para dar lugar a Fabrício Hess, ex-assessor do ex-vereador Olair Bosco e também ex-assessor do professor Cláudio Henrique da Silva (PMN), vereador em exercício de mandato que não concorrerá ao cargo eletivo este ano após ter problemas com a Justiça.

O lançamento da pré-candidatura de Fabrício Hess ao posto de prefeito se dá maculado a amarrações de bastidores que podem configurar tiro no pé de um outro nome que concorrerá à Prefeitura: o vereador mais votado da história da cidade, Cido Saraiva (MDB).

Quem transita pelas entranhas da política de Araçatuba sabe que Hess tornou-se, nos últimos anos, um inimigo de primeira hora do atual prefeito Dilador. Mais que isso, também sabe que o ex-assessor de Olair e Cláudio é um apoiador direto da candidatura de Cido Saraiva à Prefeitura nas eleições deste ano.

Mas se é um apoiador de Saraiva, por qual motivo Hess sairá candidato a prefeito também? É a pergunta que muitos estão fazendo nesta quinta-feira (27). E a resposta é simples, por estar relacionada ao difícil exercício da dialética.

Quem conhece Cido Saraiva e o prefeito Dilador Borges sabe muito bem que os dois possuem discursos sofríveis aos ouvidos que apreciam a boa fala. Mais que isso, os dois se atrapalham com extrema facilidade quando encurralados à parede para responder sobre determinados assuntos.

O calcanhar de aquiles de Dilador nas eleições deste ano será explicar o escândalo que a Operação #Tudo Nosso, da Polícia Federal, trouxe para sua administração conforme ilegalidades apontadas pelas forças policiais em esquema de desvio de recursos decorrentes de contratos da ordem de R$ 15 milhões firmados pela administração do tucano com empresas e instituto ligados ao sindicalista José Avelino Pereira, vulgo Chinelo.

Caberá a Fabrício Hess, na estratégia que se mostra, confrontar Dilador sobre suas relações com Chinelo que, por sua vez, também se lançou esta semana como pré-candidato a prefeito de Araçatuba, mesmo sendo apontado pela Polícia Federal como possível líder de esquema envolvendo a Prefeitura e até sendo preso na operação deflagrada em 13 de agosto de 2019.

Nessa linha de pensamento, Dilador terá pela frente, caso as candidaturas de Hess e Chinelo se consolidem, um desafio ainda maior do que terá para convencer o eleitorado araçatubense a lhe dar direito ao exercício de mais um mandato como chefe do Executivo.

Por si só, mesmo que fosse candidato único, Dilador já enfrentaria as dificuldades de explicar à população por quais motivos tanto prometeu nas eleições de 2016 e pouco cumpriu desde então. Há em seu plano de governo assuntos batidos, repetidos em todas os pleitos municipais, que não foram cumpridos por outros gestores e nem mesmo pelo tucano.

Diante de tudo isso, quem pode sair prejudicado no resultado final das urnas é Cido Saraiva, que tem articulado sua candidatura de forma cautelosa, mas que tende a vê-la manchada por ações de aliados que mais podem atrapalhar do ajudar.

Da mesma forma que Dilador tem sobre suas costas o peso da Operação #Tudo Nosso a arrastar nas eleições deste ano, Saraiva sabe bem o passado que possui e tudo que dele levará para as urnas no dia 15 de novembro.

Por essas e outras, diante de tantos possíveis candidatos, a certeza que se tem, pelo menos na leitura deste veículo de informação, é que muitos dos postulantes ao posto de prefeito estão sendo pessimamente assessorados e cercados de posturas pobres para algo tão importante que é a escolha do prefeito de uma cidade.

É por conta disso que a várzea política araçatubense tende a piorar se a coisa ficar largada do jeito que está. De jogo sujo o eleitor já está cheio. E de estratégia mal pensada também. O que o povo de Araçatuba e a cidade em si merecem é respeito. O que já está faltado por parte de certos pré-candidatos antes mesmo de a corrida pelos votos começarem pra valer.


O 018News não se responsabiliza pelas notícias de terceiros.
Copyright © 2018 018News. Todos os direitos reservados.